segunda-feira, abril 30, 2012

#Resenhei: Música das sombras - Julie Garwood

Eu dificilmente trago resenhas para vocês, né? Não é falta de leitura ou pouca disponibilidade, é preguiça de escrever mesmo. Nossa, tenho morrido de preguiça, aliás. Mas né... com esse friozinho gostoso que fez aqui na minha cidade hoje de tarde, consegui botar em dia umas leituras e, enfim, terminei um livro que havia começado na sexta passada. Como já disse o título do post, ele se chama "Música das Sombras", de Julie Garwood. Eu não o comprei (infelizmente), apenas peguei emprestado com uma amiga, mas confesso-lhes: eu não teria me arrependido nadinha se o tivesse comprado. 
Enfim, vamos a resenha em si? 
"Para a Princesa Gabrielle de St. Biel, a Escócia é uma terra com paisagens maravilhosas, rústicos chefes de tribos e profundos mistérios – astúcia e traições e agora, assassinatos. Enaltecida por sua extrema beleza e filha de um dos barões mais influentes da Inglaterra, Gabrielle é também a perfeita carta na manga para um rei que busca a paz na região montanhosa: o Rei John concedeu a mão de Gabrielle a um chefe de tribo bom e gentil. Mas tal casamento nunca se realizará. Durante sua última tentativa de preservar a liberdade, um súbito acontecimento altera radicalmente o futuro de Gabrielle – quando ela e seus guardas presenciam uma cena de extrema crueldade. Com uma flecha certeira, Gabrielle tira a vida de um homem, salva a vida de outro e, sem querer, inicia um enorme conflito. Em poucos dias, quando uma batalha real se instala entre antigos e novos inimigos, a região se torna um paiol de pólvora. Apesar de ter ido à Escócia para se casar, Gabrielle se vê envolvida nas intrigas locais quando dois nobres, subestimando a coragem e perícia de Gabrielle, mostram-se perigosamente fatais. Mas graças a um segredo de Gabrielle, Colm MacHugh, um dos mais temidos homens da Escócia, encontra um novo motivo para mostrar sua coragem. Sob aquele olhar penetrante, nem o corpo nem o coração de Gabrielle se encontram seguros." (Esse é o texto da 'orelha' do livro, certo?)
Muito bem. Quando eu peguei esse livro, tive poucas expectativas e sinceramente, não imaginei que chegaria até o fim. E um romance histórico, assim como vários outros da autora, mas não é porque se trata de um romance histórico que seduziria leitoras/leitores. Ao contrário de muitos, acho esse tipo de narrativa muito interessante. Envolve certo contexto que precisa de uma "verdade", levando o autor à correr atrás de fatos e informações que não são facilmente obtidas, o que é verdadeiramente admirável, convenhamos. 

Vamos por passos. Eu, na minha humilde falta de inteligência, não compreendi por que cargas d'água esse é o nome do livro. Não faz muito sentido e não há uma referência clara e objetiva durante o passar das páginas. Lógico, algumas frases apresentam pequenas referências, mas são coisas muito subjetivas, palavras que os olhos mal detectam, então fiquei meio boiando nesse aspecto. 

Outra coisa que me chamou muita atenção: os nomes dos personagens. De nada adianta o autor construir uma história incrível e avacalhar na hora de dar nome à eles, certo? Em Música das sombras, os nomes são criativos e fogem do usual. Tudo bem qeu no Brasil temos muitas Gabrielle's, mas imaginem se nos EUA tem alguma? Acho um pouco difícil encontrar. E, devido aos locais que o livro faz referência, muitos dos nomes seguem as tradições (dá pra usar essa palavra, produção?) locais, como o de Colm, por exemplo. No Brasil não tem nenhum Colm, né? Então, é à isso que me refiro. 

A personalidade dos personagens é algo que nos salta aos olhos nesse romance. Gabrielle, uma jovem mulher educada nos mais rígidos padrões da Inglaterra, por pais afetuosos, apresenta uma personalidade que é muito difícil de ser encontrada mesmo atualmente. Ela é decidida e segue os seus princípios, não deixa que lhe digam o que fazer e é tão gentil que parece que isso lhe sai pelos poros. Já Colm é o que chamaríamos de brutamontes grotesco,  porém, ao envolver-se afetivamente com Gabrielle mostra o quão leal e protetor ele é, além de se mostrar um perfeito cavalheiro apaixonado e apaixonante. 

Confesso também que fiquei abismada com o começo da estória. Expliquem-me aqueles que já leram: por que é que a mocinha demora tanto tempo pra ter um pouco de paz? Nossa, bem sério, fiquei com dó da Gabrielle porque a bichinha sofreu muito nas primeiras páginas e só começou a ter uma vida decente a partir da página 180. POR QUÊ? Coitadinha gente, dá a maior dó. 

Enfim, quando o romance se manifesta, aí já pensei comigo "oooxe, vô em frente porque ela vai acabar bem". Sério, se eu notasse que a Gabrielle iria se dar mal, eu nem iria continuar a ler. Eu simplesmente ODEIO quando os mocinhos e as mocinhas se dão mal ou têm finais trágicos. E não, não foi isso que aconteceu com Gabrielle e Colm. 

Os dois desencadeiam uma paixão quente, arrebatadora e (ouso dizer) invejável. Ele, apesar de ser impositor e querer que ela seja submissa (de certa forma) à ele, consegue fazê-la suspirar com seus beijos de tirar o fôlego e acata as decisões dela quando as julga acertadas. O Colm se torna um protetor de primeira, tanto que os guardas de Gabrielle (Stephen, Cristhien, Lucien e Faust: lindos, corajosos, leais e sábios) sentem que não precisam mais protegê-la, uma vez que Colm a oferece tudo o que ela necessita. 

Por fim, é um romance que surpreende porque você, nas primeiras páginas, nem imagina o final que a narrativa lhe trará e quando este chega, você suspira e pensa: "santo Deus, onde estão os Colm's desse mundo?"

Eu super recomendo o livro. Traz um vocabulário bem fácil para ser compreendido com apenas uma ou outra palavra mais complicada (afinal, dicionários precisam de palavras complicadas para poderem existir, certo?), nada que uma não possa ser resolvido. Algumas "cenas" (é, isso aí) são mais calientes,  mas nada que você já não tenha lido em outros livros. 

E quanto a autora? Ah, Julie Garwood é a autora de muitos campeões de venda 
recomendados pelo "New York Times", incluindo A dança das sombras, A confissão, 
Marcada mara morrer, Prazer de matar, O testamento e A próxima vítima. Além 
do recente lançamento de sua série histórica no Brasil. Seus livros já venderam mais 
de 32 milhões de cópias. 

ISBN 978-85-7775-070-2
9788577750702
352 páginas
R$ 45,90


Cuidem-se e, ao ler Música das Sombras lembrem de mim. :) 

2 comentários:

Kelly e Thaís disse...

Oie,gostei do texto.Eu leio bem pouco,ainda mais quando o livro tem bastante pagina rs.bj

tou seguindo

descobrindofelicidade.blogspot.com.br

Raíssa (: disse...

Vim conhecer seu cantinho, amei e já estou seguindo :)
Venha conhecer o meu e fique a vontade.

beijinhos e um ótimo final de semana ;*

http://noostillo.blogspot.com.br/

Postar um comentário